Quarta, 20 de Setembro de 2017
   
Texto

Psicologia - BIOFEEDBACK

O termo biofeedback foi descrito no final da década de 60, por um grupo de profissionais sediados em Santa Mônica, California.

Este grupo estudava os mecanismos biológicos que controlam a auto-regulação de respostas fisiológicas.

Bios (do grego “vida”), feed (do inglês “alimentar”) e back (do inglês “ retorno”), em sua tradução literal significa Retroalimentação da Vida”.

O objetivo principal da utilização dessa técnica é fazer com que o paciente aprenda a identificar e controlar as suas alterações fisiológicas e algumas funções fisiológicas das quais o indivíduo normalmente não têm consciência, com a finalidade de melhorar, manter seu desempenho e sua saúde física, mental e emocional.

O Biofeedback promove através de jogos eletrônicos, técnicas de relaxamento e concentração que são ensinadas para que a pessoa perceba que as mesmas influenciam as variáveis fisiológicas que são monitoradas pelo equipamento (frequência cardíaca, condutividade elétrica da pele). “Essa percepção facilita o aprendizado do controle das manifestações orgânicas associadas à Ansiedade e ao Estresse”

Os processos de respiração profunda, relaxamento e visualização são usados como retorno da informação dos processos internos do organismo.

Além do seu aspecto terapêutico, o biofeedback é também um instrumento utilizado no aprimoramento do desempenho esportivo de atletas profissionais, amadores e praticantes de exercícios físicos, melhorando a performance, concentração, atenção, gerenciamento de estresse e ansiedade competitiva, equilíbrio emocional por meio de desenvolvimento de habilidades psicofisiológicas.

 

Indicações para aplicação do Biofeedback:

  • Redução de estresse em indivíduos portadores de hipertensão arterial
  • Gerenciamento e redução de dores de cabeça crônicas
  • TDAH – transtorno de déficit de atenção/hiperatividade
  • Controle de distúrbios afetivos.
  • Manifestações de estresse, enxaqueca e dores de cabeça tensionais.
  • Melhora de concentração, níveis de percepção corporal e memória.
  • Autoconsciência e consciência externa.
  • Desgaste emocional no ambiente de trabalho (gerenciamento de estresse e ansiedade).
  • Elevação do grau de relaxamento psicofisiológico e clareza mental.
  • Controle da ansiedade, depressão, fobias e dores crônicas.
  • Problemas musculares, como torcicolo e bruxismo.
  • Desempenho e aprimoramento da performance esportiva.

 

 

 

Dra PATRICIA GIAMPA

Psicóloga da Clínica Esportiva

Curta nosso Face!