Quarta, 20 de Setembro de 2017
   
Texto

Rugby x Alimentação

O Rugby é um esporte coletivo originário da Inglaterra de intenso contato físico. Uma variação do futebol, foi chamado anteriormente de futebol-rúgbi. Hoje ele é o segundo esporte de equipe mais popular do mundo, só sendo superado pelo futebol. Com essa grande popularidade, variações do esporte surgiram. A mais praticada é o rúgbi de quinze ( inglês: rugby union), em seguida está o râguebi de treze( inglês: rugby league). Para além dessas duas, há o rúgbi de praia, de toque, de sete, em cadeira de rodas e subaquático.

O Rugby Union é um esporte coletivo que é jogado em um campo gramado com 100 metros de comprimento por 70 metros de largura. As partidas tem duração de 40min com um intervalo de 10 minutos entre eles sendo disputado por 2 equipes de 15 que são divididos em Forwards (oito jogadores), e Backs (sete jogadores) de acordo com a função durante a partida. O objetivo do jogo é vencer a defesa adversária e apoiar a bola na extremidade final do campo, a qual é chamada de in-goal e marcar um try (5 pontos)

O jogadores Forwards apresentam menores valores de VO2Máx do que Backs, apresentam maiores valores de massa corporal total e de percentual de gordura isso no âmbito de brasileiros que jogam rugby no Brasil em 2010.

O jogo é composto por respectivas corridas de alta intensidade e freqüência de contato físico. Os Forwards precisam necessitam de potência física e os Backs de velocidade e agilidade.

O Rugby vai estar presente nas Olimpiadas de 2016 na modalidade seven-a-side (sete jogadores em cada equipe).

Há uma diferença significativa na função que o jogador desempenha durante o jogo para que intensifique essa especificidade no cardápio alimentar. Geralmente são jogadores fortes e altos com um grande dispêndio energético o qual favorece o elevado apetite dos jogadores.

Com tanta fome é necessário suprir essa necessidade em alimentos calóricos fracionados durante o dia, para que otimize a performance durante as partidas.

É preciso ter uma significante quantidade protéica animal (carnes e ovos) neste cardápio e pão principalmente em uma refeição que antecede de 4 á 2 horas antes do treinamento. Suplementos alimentares são grandes aliados para esses jogadores, pois muito dos casos não conseguem em alimentação normal comer a devida quantidade necessária para otimizar os resultados.

Porém o problema vem com o desequilíbrio alimentar em comer muito em um curto intervalo de tempo e isso faz elevar o percentual de gordura do jogador, assim diminuindo o nível de competitividade e performance, por mais que o atleta deve ser forte e pode ter um pouco mais de gordura pois ajuda a amortecer os impactos durante a partida mas se esse nível ultrapassar 20% pode atrapalhar o preparo físico e diminuir as funções específicas no decorrer da partida.

Respeite sua individualidade e não fique mais que 4hs sem se alimentar, se não fica difícil controlar a fome.

Dra. Janete Neves

Especialista em Performance Humana

Fonte: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/24903/000750121.pdf?sequence=1

Curta nosso Face!